Canal de Conteúdo da Optimize e Plataforma Sintonia.

Aqui você encontra diversos conteúdos e materiais gratuitos sobre gestão estratégica, transformação de processos de negócios, projetos e de como enganjar sua equipe para colocar sua empresa em sintonia e alcançar os resultados…

Nossas Redes Sociais

Nossas Redes Sociais:

Top
Gestão em Sintonia: da estratégia à sua execução – Blog Gestão em Sintonia
6629
post-template-default,single,single-post,postid-6629,single-format-standard,mkd-core-1.0,highrise-ver-1.1.1,mkd-smooth-scroll,mkd-smooth-page-transitions,mkd-ajax,mkd-grid-1300,mkd-blog-installed,mkd-header-standard,mkd-sticky-header-on-scroll-up,mkd-default-mobile-header,mkd-sticky-up-mobile-header,mkd-dropdown-slide-from-bottom,mkd-dark-header,mkd-full-width-wide-menu,mkd-header-standard-in-grid-shadow-disable,mkd-search-dropdown,mkd-side-menu-slide-from-right,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

Blog

Gestão em Sintonia: da estratégia à sua execução

O esforço e o trabalho necessários para fazer a gestão de um negócio são elevados. Este é um desafio em que, para ser bem-sucedido, é preciso o desenvolvimento de visão de longo prazo, aplicação de metodologias inovadoras, inteligência estratégica e uma grande capacidade de administrar todos os fatores operacionais. Buscando simplificar e otimizar esse trabalho gigantesco, foi desenvolvido um modelo chamado Gestão em Sintonia.

>>>Assista o vídeo sobre o modelo de Gestão em Sintonia

Criado pela Optimize, esse modelo pode ser aplicado em qualquer organização. Seu grande diferencial é reunir, de forma prática e simplificada, conceitos e disciplinas de comprovada eficácia para a gestão de uma empresa. Além disso, trata-se um modelo que possui uma implementação fácil e ágil.

Além da metodologia, também foi desenvolvida uma solução digital chamada Plataforma Sintonia. Esse recurso tecnológico alinha e operacionaliza todo o modelo de gestão.

Entretanto, a aplicação do Gestão em Sintonia não depende do software. Afinal, o princípio que rege esta metodologia é o de organizar de modo simplificado todo o processo de gestão, cobrindo da elaboração da estratégia até a automatização operacional. Sempre tendo como meta alavancar a performance do negócio em todos seus aspectos e trazer resultados financeiros consistentes e duradouros.

Para que você possa entender melhor como o Gestão em Sintonia é aplicado e como ele irá ajudar a sua empresa, preparamos este artigo. Nele é possível enxergar um panorama completo de suas etapas e conceitos. Continue lendo e descubra mais sobre esta ferramenta!

Gestão em Sintonia na prática

O Gestão em Sintonia é um modelo de gestão de negócios. Ele entende que a sintonia entre diferentes processos é o melhor caminho para a produtividade. Assim, sua aplicação acontece em quatro grandes áreas da gestão organizacional: Gestão Estratégica, Gesta de Projetos, Gestão de Processos e Gamificação.

Ao analisar com atenção cada uma dessas áreas é possível notar quem elas seguem um caminho que vai do mais amplo e teórico (estratégia) ao mais específico e prático (processos). De forma resumida, podemos dizer que elas englobam três grandes passos, que podem ser classificados em: planejar, colocar em prática e monitorar.

O modo como esses passos serão executados é o que vai definir a performance e os resultados. Deve-se realizar um trabalho coordenado e bem sintonizado entre cada passo. E isso feito a partir de conceitos e ferramentas modernas de planejamento e gerenciamento.

>>> Que tal experimentar uma ferramenta bacana para melhorar sua gestão de processos. 

Para entender melhor o funcionamento do Gestão em Sintonia, vamos nos aprofundar em cada uma das grandes áreas da gestão organizacional. A ideia é os conceitos e modos de aplicação do Gestão em Sintonia fiquem bastante claros. Assim como a importância de todas essas grandes áreas o sucesso do negócio.

Gestão Estratégica

Toda empresa deve começar pela elaboração de sua estratégia organizacional. Este é o momento em que serão criadas as macro diretrizes que guiarão a organização em sua trajetória. E isso começa com a definição de sua Missão, Visão e Valores.

Missão: define de forma objetiva o propósito da empresa e as responsabilidades que ela assume diante de seus clientes e da sociedade.

Visão: define a aspiração de futuro para a empresa. É uma declaração concisa de onde a organização almeja chegar e para onde estão direcionados seus esforços.

Valores: é o resumo dos princípios e crenças que devem nortear cada ação dentro da companhia. É aquilo que a empresa acredita ser o certo, aquilo que mais valoriza e norteia seus princípios éticos.

É esse conjunto de propostas que será a base da cultura organizacional. Ela determina e evidencia o que a empresa acredita, pratica e valoriza. Esse é o primeiro passo, a partir do qual serão desenvolvidos os demais.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico é o próximo passo do Gestão em Sintonia. Ele será responsável por definir os objetivos da empresa no médio e longo prazo. É nele que são traçadas as ações devem ser tomadas para chegar a esses objetivos.

Essas decisões, naturalmente, não surgirão do nada. Para chegar à definição dos objetivos, metas e meios para atingi-los é preciso uma análise completa de dois grandes cenários: o interno e o externo.

  • Cenário interno: representa todos os fatores que estão, de alguma forma, relacionados com a empresa e o negócio. Isso inclui todos os recursos disponíveis, tais como: financeiros, humanos, capacidade de produção, qualidade dos processos etc. Descreve, também, as competências para administrar esses recursos, a qualificação dos times, a capacidade de desenvolvimento, as competências gerenciais, entre outros.
  • Cenário externo: engloba tudo que não está diretamente ligado à empresa, mas que tem poder de influenciar no seu desempenho. Fatores como concorrência, tendências de mercado, situação econômica do país, legislações e projetos de lei, aspectos tributários etc.

A partir dessa análise, obtém-se um diagnóstico do negócio e é possível definir os objetivos da organização. Com isso, o planejamento estratégico passa a ser desdobrado de forma a ser posto em prática. É nesse momento que o Gestão em Sintonia adentra no nível tático, em que serão criadas estratégias gerenciais para as áreas, sempre desenhadas e focadas nos objetivos estratégicos da empresa. São planejadas atividades e metas para todas as áreas como: Marketing, Recursos Humanos, Produção, Financeiro etc.

Por fim, todo esse planejamento chega ao nível operacional, no qual são pensados quais os melhores processos que podem atender às demandas que foram determinadas. Trata-se, assim, de desenhar em cascata planos que vão dos grandes objetivos até as ações necessárias para atingi-los.

Gestão de projetos

Com o planejamento estratégico pronto, é hora de fazer as coisas acontecerem pondo o Gestão em Sintonia em prática. É o momento em que se iniciam  as atividades práticas gerenciais  por meio de diversos projetos que entram em andamento. Para isso, é necessário que a empresa conte com uma eficiente gestão de projetos.

Um projeto pode ser definido como uma ação temporária — com início, meio e fim — que tem como foco o desenvolvimento e implementação de algo novo na empresa. Assim,, de acordo com o planejamento estratégico, eles devem ser definidos como parte das ações que precisam ser colocadas em prática.

Realizar a gestão de projetos demanda também a elaboração de planos, definição de metas e de ações de implementação e controle. Há diversas metodologias que podem ser aplicadas para a execução de um projeto. São ferramentas modernas que promovem a eficiência e agilidade na gestão e podem ser adaptadas às diferentes realidades de qualquer tipo e tamanho de negócio.

Gestão de processos

Fazer a gestão de processos é atuar para garantir a máxima eficiência operacional da empresa. Isso significa analisar, planejar e aplicar as melhores soluções em cada atividade do negócio.

Tudo isso começa com um bom mapeamento de processo, através do qual será possível desenhar o jeito mais eficiente de realizar cada ação e de obter o melhor resultado. Esse é um trabalho de contínuo aperfeiçoamento que, quando aplicado com qualidade e profissionalismo, tende a trazer resultados surpreendentes.

Essa etapa do Gestão em Sintonia representa a operacionalização prática de tudo que foi definido. É o último elo da cadeia, a ponta onde as coisas acontecem todos os dias. Seu desenho deve sempre estar em sintonia com os objetivos e metas que constam no planejamento. Desse modo, precisam ser desenhados e executados com foco em resultados muito específicos.

Para isso, cada processo deve ser desenvolvido e acompanhado por métricas e metas periódicas que vão permitir avaliar seu desempenho, identificar gargalos e agir rapidamente para eliminá-los. Isso significa atribuir tarefas e responsabilidades, estipular prazos, medir regularmente os resultados e agir caso não estejam sendo satisfatórios.

Em última instância, um bom gerenciamento de processos tem como benefício a maior eficiência com o menor desperdício de recursos, gerando redução de custos ao mesmo tempo que aumenta a produtividade.

Gamificação

Ao desdobrar cada elemento de um planejamento estratégico, a cada etapa haverá um fator determinante para todas as ações planejadas: as pessoas. Não importa quão bons e bem fundamentados sejam os planos e as estratégias, no final, tudo vai depender de pessoas para ser feito corretamente e chegar aos objetivos que foram definidos.

Isso quer dizer que é preciso atuar de forma a fazer as pessoas darem o melhor de si, mantendo-as motivadas, engajadas e proativas. É nesse desafio que entra a gamificação em uma empresa.

Gamificação vem do inglês “gamification”. Por trás desse conceito está uma ferramenta muito eficiente para estimular a performance de colaboradores. Trata-se de planejar e implementar uma série de ações que têm na sua dinâmica os mesmos princípios dos jogos de entretenimento. E o modelo Gestão em Sintonia engloba também a Gamificação.

Assim, é um recurso que se aplica como meio para melhorar a eficácia de treinamentos, gerar estímulos nos colaboradores, promover a competitividade saudável e influenciar as pessoas para que explorem todo seu potencial.

Para que isso seja alcançado, são elaboradas atividades que unem a competição e a recompensa, sempre de forma estudada e planejada, para gerar engajamento e produtividade.

Sintonia e encadeamento

Todo esse sobrevoo nessas quatro grandes áreas revela por si só a importância de cada uma delas estar em sintonia com a outra. Todas fazem parte de um processo maior, que vai das definições mais gerais até a ação mais específica. O sucesso de uma empresa estará atrelado ao modo como ela consegue manter esse encadeamento harmonioso, fluido, com o menor ruído possível entre as partes e com todos focados em obter o melhor resultado.

É possível notar que em cada uma dessas áreas a lógica se repete partindo sempre de uma análise da situação, um planejamento direcionado, uma implementação eficiente e um monitoramento permanente. Todo esse conjunto representa a estratégia organizacional e os meios pelos quais ela é colocada em prática, garantido pelo modelo Gestão em Sintonia. Esse macroprocesso pode ser dividido em três fases:

  • Criar estratégias: definir objetivos e metas que apontem em qual direção a empresa deve seguir;
  • Colocar em prática: desdobrar o que foi definido entre as áreas e criar processos para a execução do que foi planejando;
  • Monitorar a performance: elaborar métricas e métodos para acompanhar a evolução de cada área, a eficiência na execução de cada processo em termos de prazo, agilidade, entrega e qualidade. Sempre no sentido de serem efetivos e de estarem alinhados com os objetivos estratégicos.

Três pilares do Gestão em Sintonia

Por mais que todas as etapas estejam claras e sua aplicação pareça viável dentro do negócio, é preciso ainda entender o mecanismo que irá mover cada uma dessas grandes fases. Podemos dizer que são três pilares da Gestão em Sintonia que sustentam cada uma delas. Saber como fazê-los funcionar é essencial para que tudo saia como planejado. Esses pilares são:

  • engajamento;
  • colaboração;
  • Automação.

Vamos entender um pouco melhor cada um deles.

1. Engajamento

Está conectado diretamente à criação e disseminação das estratégias globais da organização. Isso quer dizer que, para que essas estratégias sejam realmente colocadas em prática, é preciso fazer com que todos estejam dedicados e motivados nelas.

E isso é possível graças a uma série de ações como, por exemplo, uma comunicação transparente, que apresente essas estratégias e seus objetivos para toda a empresa. É preciso que todos tenham consciência de onde a empresa quer chegar para que possam ter noção de seus respectivos papéis para o sucesso desse plano.

Fazer as pessoas saberem para onde estão caminhado e qual seu papel nisso é o primeiro passo para gerar engajamento. Afinal, ninguém se engaja naquilo que não conhece. A partir daí, diversas outras ações podem ser executadas para trabalhar e polir esse engajamento.

2. Colaboração

Este pilar é o que vai dar sustentação para a fase de colocar as coisas em prática. Uma empresa é um organismo vivo e depende das áreas e das pessoas trabalharem juntas para o resultado maior.

Estimular a colaboração é fundamental para que os desdobramentos estratégicos sejam efetivamente executados, seja em nível gerencial, seja em nível operacional. E é a colaboração que vai fazer com que o resultado geral seja maior do que a soma dos fatores. É o que gera sinergia e produtividade.

Por isso, atuar para criar um ambiente colaborativo, com ferramentas que auxiliem nisso e com ações que estimulem isso, está entre os pilares fundamentais do Gestão em Sintonia.

3. Automação

Mapear, desenvolver, aplicar, monitorar, aprimorar e medir processos. Esse é um trabalho regular que vai atuar diretamente na ponta. E a automação veio para facilitar todo esse processo.

Com ela é possível automatizar tarefas de baixo valor, liberando os funcionários para tarefas mais importantes e urgentes. Isso agiliza muito os projetos, evita retrabalhos por falhas humanas e gera mais qualidade.

Nesse sentido, vale muito investir em uma boa automação de processos como forma de garantir a eficiência e a resolução de gargalos que afetem os resultados.

Todas essas questões fazem parte do que é pensado e aplicado na metodologia Gestão em Sintonia. Da estratégia à execução, este modelo cobre todas as etapas, atuando em cada uma delas de forma a utilizar o que há de melhor na inteligência de negócios. E isso desde a elaboração de planos, a execução prática e até o monitoramento dos resultados. Tudo sempre focado no sucesso do negócio e na performance de alto nível.

Que tal tornar seu negócio escalável, eficiente e altamente lucrativo? Então entre em contato e vamos mostrar como isso é possível.

Pelo desejo intrínseco de empreender, de criar algo que fosse valorizado pelo mercado e que tornasse a gestão das organizações mais simples, mais assertiva e que as colocasse em um outro patamar, o da inovação e alta performance, é que pensamos a Optimize.  Venha e junte-se a nós!

 

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Comentários

Comentários